Foto:
Quarta, 25 de março de 2020 - 15:32:46
Governador de MT afirma que vai continuar com as restrições sociais
CORNONAVÍRUS
Governador do Estado diz ainda que atividades essenciais devem ser liberadas

O governador de Mato Grosso Mauro Mendes (DEM) afirmou que o Estado deve continuar com a recomendação de isolamento social devido a pandemia causada pelo novo coronavírus, o Covid-19.

“Vamos continuar a restringir o convívio social e a preparar toda a estrutura necessária para atender aos possíveis doentes do coronavírus”, disse o governador, na manhã desta quarta-feira (25) por meio de assessoria de imprensa.

A declaração foi dada em razão do pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizado na noite desta terça-feira (24). 

Na ocasião, o presidente o defendeu o fim do isolamento social e reabertura de escolas e comércio. O discurso é contrário ao que os principais órgãos de saúde e governos do mundo recomendam para combater o novo vírus.

Vamos continuar a restringir o convívio social e a preparar toda a estrutura necessária para atender aos possíveis doentes do coronavírus

Mendes, no entanto, continuou com o discurso de que atividades consideradas essenciais como a indústria não foram interrompidas.

“Não iremos proibir nenhuma atividade econômica essencial, desde que haja a devida obediência às regras sanitárias”, finalizou o governador.

Pronunciamento de Bolsonaro

 

Bolsonaro, em discurso de mais de cinco minutos na TV aberta, criticou diversas medidas adotadas por governadores e prefeitos que visam minimizar os efeitos do coronavírus na Saúde.

 

Ele atacou governadores e culpou a imprensa pelo que considera clima de “pânico e a histeria" instalado no Brasil.

 

"Grande parte dos meios de comunicação foram na contramão. Espalharam a sensação de pavor, tendo como carro-chefe o grande número e vítimas na Itália [...]. O cenário perfeito potencializado pela mídia para que histeria se espalhasse para o País", afirmou o presidente.

 

O presidente ainda minimizou o confinamento social, recomendado por diversos governos no mundo, para conter a propagação do novo vírus. Segundo o presidente, a medida vai afetar a economia.

 

"O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade", afirmou.

 

Decretos de Mendes

 

Em um dos diversos decretos voltados ao combate do coronavírus no Estado publicado nesta semana, Mendes proibiu o funcionamento dos bares e lojas de conveniência em todo Estado.

 

O decreto prevê que os estabelecimentos como restaurantes e padarias podem operar apenas com a opção de entrega ou retirada no local.

 

Esta medida, no entanto, não abrange os restaurantes e serviços desenvolvidos nas rodovias estaduais e municipais “destinadas ao atendimento de transporte de alimentos, combustíveis, medicamentos e outras atividades essenciais ao abastecimento da população”.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Bolsonaro critica fechamento de escolas e ataca governadores

Texto/Fonte: CÍNTIA BORGES