Foto:
Segunda, 30 de setembro de 2019 - 15:02:57
Polícia faz buscas por enfermeira que está desaparecida há 3 dias em Sinop
POLICIA
Ele relatou que o filho de Zuilda tentou achar seu telefone e a localização apontou dentro da casa, mas não foi encontrado.

A Polícia Civil confirmou, ao Só Notícias, que estão sendo feitas buscas pela enfermeira Zuilda Correia Rodrigues, de 43 anos, desaparecida desde a última sexta-feira (27). O registro da ocorrência foi feito na delegacia pelo marido dela. Segundo as informações do documento, o homem afirmou que passou no hospital onde ela trabalha para buscá-la após o término do plantão. Como ele está trabalhando com a venda de espetinhos, na região central da cidade, deixou ela em casa por volta das 19h e voltou ao trabalho. Mais tarde, como a esposa não apareceu no espetinho, ele retornou na residência por volta das 20h para verificar o que havia ocorrido.

No imóvel onde moram, na avenida dos Tarumãs, ele constatou que a mulher e uma Toyota SW4 preta não estavam no local. Com isso, ele relata no boletim de ocorrência, que imaginou que ela poderia estar na igreja e retornou para venda de espetinhos. Depois, por volta das 21h, encontrou a caminhonete estacionada em frente a residência e trancada.

Ele entrou na casa, percebeu que no quarto faltavam algumas roupas da mulher e dinheiro (valor não informado). O homem teria pego a chave reserva, foi até o veículo e constatou sinais de manchas com sangue e fios de cabelo.

O comunicante afirmou que estacionou a caminhonete no quintal e, neste momento, encontrou os documentos pessoais da mulher. Ele relatou que o filho de Zuilda tentou achar seu telefone e a localização apontou dentro da casa, mas não foi encontrado.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está investigando a versão apresentada pelo marido todas as circunstâncias do desaparecimento de Zuilda Correia.

De acordo com uma fonte de Só Notícias, a Perícia Oficial E Identificação Técnica (Politec) já confirmou que o sangue encontrado na caminhonete é humano. Além disso, no muro da casa havia marcas de calçado, que também está sendo analisado.

Texto/Fonte: