Foto: Reprodução
Sexta, 11 de maio de 2018 - 14:54:11
Silval, Riva, Nadaf e mais 12 são condenados por corrupção; veja as penas de cada um
AÇÃO PENAL DA SODOMA
A pena do ex-governador, porém, será cumprida em regime diferenciado, conforme acordado em delação premiada firmada no Supremo Tribunal Federal.

O juiz Marcos Faleiros, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, condenou o ex-governador Silval da Cunha Barbosa por corrupção e fraude em licitação a 14 anos, 20 dias e 2 meses de prisão no processo proveniente da Operação Sodoma, em sua 3ª fase. Além de Silval, outros 14 réus na ação penal também foram condenados.

A pena do ex-governador, porém, será cumprida em regime diferenciado, conforme acordado em delação premiada firmada no Supremo Tribunal Federal.

O ex-deputado estadual José Geraldo Riva também foi condenado por corrupção, fraude em licitação e organização criminoso no mesmo caso a 13 anos e 4 meses de prisão. O regime inicial do ex-parlamentar é o fechado.

Leia também - Silval, filho e mais 15 pessoas viram réus por corrupção

A 3ª fase da Operação Sodoma apurou conduta dos membros da organização criminosa liderada por Silval na utilização de recursos provenientes do pagamento de propina e lavagem de dinheiro.

Chico Ferreira/A Gazeta

Os trabalhos foram desdobramentos das investigações relacionadas à concessão fraudulenta de incentivos fiscais do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso, o Prodeic.

A lista de condenados conta ainda com mais 13 pessoas. O ex-secretário de Casa Civil, Pedro Jamil Nadaf, foi penalizado por lavagem de dinheiro com 3 anos e 4 meses de reclusão a ser cumprido em regime semiaberto, conforme acordado em delação premida.

O ex-prefeito de Várzea Grande, Wallace Guimarães, foi condenado por corrupação a 12 anos de reclusão no regime inicialmente fechado. O procurador do Estado aposentado, Francisco Gomes de Andrade Lima, o Chico Lima, foi condenado por lavagem de dinheiro a 6 anos de prisão em regime inicialmente semiaberto.

Cézar Roberto Zílio, ex-secretário de Administração, foi condenado por lavagem de dinheiro, fraude em licitação e corrupção a 24 anos de reclusão e um ano e 8 meses de detenção, pena a ser cumprida em regime prisional diferenciado, conforme termo de colaboração premiada.

Leia também - Quadrilha de Silval recebeu R$ 17 mi de empresário

João Vieira

Silvio Cézar Corrêa de Araujo, ex-chefe de gabinete de Silval Barbosa, foi condenado por corrupção e fraude a licitação a 7 anos e 6 meses de reclusão, mais um ano e 5 meses de detenção, pena a ser cumprida em regime prisional diferenciado, conforme termo de colaboração premiada.

Pedro Elias Domingos de Mello, ex-secretário de Administração de Mato Grosso, foi condenado a 15 anos, 3 meses e 2 dias de reclusão, mais 8 meses de detenção, pena a ser cumprida em regime penal diferenciado, conforme termo de colaboração premiada.

José de Jesus Nunes Cordeiro, ex-secretário adjunto de administração, foi condenado a 33 anos, 9 meses e 10 dias de reclusão, mais 6 anos e 4 meses de detenção em regime inicialmente fechado.

Rodrigo da Cunha Barbosa, filho de Silval Barbosa, foi condenado a 2 anos e 2 meses de reclusão, a ser cumprido em regime diferenciado, conforme delação premiada firmada.

Marcus Vaillant 

Bruno Sampaio Saldanha foi condenado em 8 anos, 10 meses e 20 dias de reclusão, pena que será cumprida em regime inicialmente fechado. Antônio Roni de Liz foi condenado a 12 anos de reclusão, pena que será cumprida em regime inicialmente fechado

Evandro Gustavo Pontes da Silva foi condenado a 12 anos de reclusão, pena que será cumprida em regime inicialmente fechado.

Tiago Vieira de Souza foi condenado a 10 anos de reclusão e um ano e 4 meses de detenção, pena que será cumprida em regime inicialmente fechado.

Fabio Drumond Formiga foi condenado a um ano e 4 meses de detenção, pena que será cumprida em regime inicialmente aberto.

Absolvição

Conforme decisão, o processo foi integralmente rejeitado contra o ex-secretário de Fazenda, Marcel de Cursi e Karla Cecília de Oliveira Cintra.

Absolvições parciais parciais da denúncia foram concedidos a Cezar Zilio (corrupção passiva), Chico Lima (corrupção passiva), Rodrigo Barbosa e Pedro Elias (ambos fraude em licitação). 

Texto/Fonte: Arthur Santos da Silva